A comunicação dos clubes com o torcedor é eficaz?

comunicação EFICAZ torcedor

Analise o cenário digital e veja se a comunicação com o torcedor é eficaz

Quando falamos da comunicação dos clubes precisamos elencar todos os elementos que envolvem o clube até o torcedor. O meio que o clube utiliza pode e deve ser mais eficaz. O panorama atual não deixa de revelar que a grande maioria se preocupa com números. Seguidamente, vemos rankings de clubes em redes sociais ganharem destaque. Dispensável.

Em primeiro lugar, devemos lembrar o seguinte: clubes praticam esportes. Então, nosso contexto segue somente uma análise de como os clubes podem envolver os seus torcedores com o esporte, sem a cobrança excessiva por uma rede sólida de comunicação. Porém, nos dias de hoje, sabemos como manter contato com sua torcida é algo extremamente importante e pode trazer retorno para as agremiações. Digno de nota: clubes ainda dependem de uma colaboração da televisão.

Quais clubes já estudaram o seu torcedor? Quantos clubes sabem como o seu consumidor consome futebol?

Meios de comunicação

Já falamos anteriormente sobre 5 pontos que os clubes podem melhorar na comunicação. Quando falamos que um clube pode ser mais eficaz quando dialoga com seu torcedor, temos que ter um ponto de partida. A primeira é saber como seu torcedor consome notícias. Outra, é saber se o torcedor está satisfeito. Pesquisar. Entender o torcedor.

“Entrar” na televisão é, realmente, muito caro. Então, como os clubes mantêm um programa no Premiere Futebol Clube? Há uma ajuda da televisão, por contrato, a eles. Em geral, recebem uma cota extra e eles conseguem produzir os programas que vão para a TV. Em pesquisa de 2016 pelo Censo Rubro Negro, o Flamengo identificou que 79% dos seus torcedores afirmam assinar televisão a cabo; 56% dizem ser assinantes do pay-per-view.

Os clubes ainda estão devagar. O Streaming parece ser uma realidade mai distante. Tivemos o caso, neste ano, do jogo entre Atlético Paranaense x Coritiba, com transmissão pela internet. Porém, devemos lembrar que foi uma iniciativa para escapar da pouca grana da TV. Não foi uma ação proativa.

Outra alternativa que já citamos é o exemplo da rádio Grêmio. Muitos torcedores ainda são ouvintes do Rádio. E é uma ótima opção para a televisão, além de custo mais baixo, ainda é cabível na internet.

O youtube hoje é outra solução. Com baixo investimento, um clube pode criar um canal e manter ali uma interação eficaz com o mundo do futebol. Expor a marca nesta rede social pode significar muito. O torcedor pode deixar ainda o feedback a respeito do conteúdo. Ainda cira-se uma base de usuários interessados, complementa informações e acompanha o impacto das publicações.

Mais a fundo nas redes sociais

Quando falamos em redes sociais, devemos lembrar que são ótimas ferramentas de engajamento da marca com o seu público. O parâmetro para qualquer meio – seja facebook, instagram, twitter – leva a métricas de vaidade. É preciso ter cuidado com isso! Quando falamos em seguidores e curtidores devemos ligar o sinal de alerta.

Os parceiros do Futebol Retweet (http://blog.futebolretweet.com.br) usam uma métrica muito simples mas importante: engajamento. Ter muito seguidores nem sempre significa um ganho real. O que o Futebol Retweet faz é analisar o alcance de uma postagem através de compartilhamentos e comentários.

Outra percepção que torna o trabalho nas redes sociais mais eficaz: use o analytics. Facebook, Instagram, Youtube e Twitter já permitem um acesso rico em informações.

Lógica da comunicação

Não dá para apontar uma fórmula mágica. Mas o principal é ter força de trabalho qualificada. Os profissionais envolvidos devem ser capacitados e entender o que estão fazendo e como fazer. Meios: ocupar canais de comunicação e rede social é uma estratégia principiante. Saber utilizá-las é fundamental. Se o público consumir cada um dos canais, melhor. Usar métricas que indiquem um desempenho de performance. Isso atesta inclusive a qualidade. Por fim, o feed back do torcedor. Pesquise, pergunte, utilize o programa de sócios para interação. A resposta do retorno de quem desempenha feito pelo consumidor é o melhor termômetro de trabalho.

Assim, não é muito difícil alinhar uma proposta de parceria clube-marcas. Com foco em viabilizar a iniciativa em outros meios, ganham todos. A marca, com a mídia espontânea, o clube, com um parceiro comercial e claro, o consumidor, com mais conteúdo.

A relação dos clubes com a imprensa é um caso a parte. Em outra oportunidade, abordaremos essa questão.

 

Deixe uma resposta