A queda de um ídolo – a imagem arranhada de Jon Jones

Foto de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Atleta do UFC vem sofrendo constantes derrotas fora do ringue

O lutador de MMA Jon Jones teve seu caso julgado pela USADA por três árbitros da McLaren Global Sports Solutions na semana passada e a decisão foi a a sanção integral em lutas por um ano. A proibição é retroativa, ou seja, Jones estará apto a voltar ao octógono em julho de 2017. Jones, de 29 anos, afirmou que tomou uma pílula de desempenho sexual contaminada e a USADA confirmou que a pílula foi alterada, porém responsabilizou o lutador por não respeitar limites da política anti-doping do UFC e do Código WADA.

Jones testou positivo para duas substâncias proibidas, clomifeno e Letrozol, em um teste de dopagem antes do incrível UFC 200. Três dias antes da luta contra Daniel Cormier ele foi retirado do card, perdendo um pagamento de cerca de U$ 10 milhões. Para efeitos de comparação, ao perder a luta, Jones também ficou sem sua milionária bolsa para a luta, sem um centavo sequer, e seria o maior pagamento de um atleta na história do UFC, esse recorde ficou para Brock Lesnar, que recebeu cerca de U$2.5 milhões na noite, algo em torno de R$ 8.26 milhões. Contratos cancelados também fizeram parte do noticiário do lutador: Depois da Reebok, que anunciara Jon Jones como um de seus garotos-propaganda em dezembro de 2014, a Muscletech, empresa especializada em suplementos alimentares, também decidiu rescindir o contrato de apoio com o lutador.

Jones, o mais jovem campeão da história do UFC e ainda considerado como o melhor lutador peso por peso do mundo, era considerado o mais promissor lutador da história do MMA. Ágil, forte e dono de um carisma em um ambiente onde há forte hostilidade entre atletas. Mas tudo mudou. Faltou ao atleta um profissional para assessorar sua imagem?

Além da imagem arranhada devido aos vários escândalos, esse último ato escancara um hiato na carreira do lutador. Perdeu o cinturão. Envolveu-se com drogas – terrível para qualquer atleta. Mostra-se um exemplo ruim para os fãs. Jones poderia alcançar valores gigantescos em termos de contratos e mídia e ter uma escalada rumo ao sucesso explosiva. Jones demonstra ser um humano, com suas fraquezas normais que toda pessoa pode ter, e envolvimentos em situações embaraçosas. Mas o mundo esportivo não permite deslizes. Até compreende um erro, permite uma correção de postura. Mas quando a conduta do atleta é incompatível com sua profissão, a punição não é nada branda: suspensão do direito de lutar (trabalhar), contratos valiosos cancelados e perda de cinturão.

O céu pode ser o limite para um campeão, mas a queda pra um derrotado é sem fim.

One thought on “A queda de um ídolo – a imagem arranhada de Jon Jones

Deixe uma resposta